CBN

sábado, 5 de fevereiro de 2022

Em protesto no Rio, manifestantes pedem justiça por morte de Moïse Ato reuniu familiares do congolês e defensores de direitos humanos





Yvonne Lay, mãe do congolês Moïse Kabagambe, e Djodjo Baraka, irmão - Fernando Frazão/Agência Brasil


Publicado em 05/02/2022 - 12:34 
Por Vladimir Platonow - 
Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Centenas de manifestantes fizeram um protesto neste sábado (5), em frente ao quiosque Tropicália, na Barra da Tijuca, onde o congolês Moïse Kabagambe foi morto. O ato reuniu familiares de Moïse e dezenas de entidades defensoras da causa negra e dos direitos humanos, além de organizações políticas diversas.

A mãe de Moïse, a congolesa Ivana Lay, discursou rapidamente, em cima do carro de som, e pediu justiça: "Queremos justiça para o Moïse, até o final".

Para o babalorixá Ivanir dos Santos, representante da Articulação das Populações Marginalizadas, a violência contra os negros é centenária no Brasil: "A nossa luta não começou agora. Esse é mais um passo na busca pelos nossos direitos."

No início da manifestação, um pequeno grupo tentou depredar o quiosque, mas foi prontamente reprimido com palavras pelos organizadores do protesto.

A prefeitura do Rio anunciou que os dois quiosques que foram "palco" para o assassinato de Moïse, na noite de 24 de janeiro, serão transformados em memorial ao jovem congolês, com a possibilidade de ser administrado pela sua família.

Após a concentração do ato, em frente ao quiosque, os manifestantes seguiram em passeata, pela Avenida Lúcio Costa, na orla da praia.

Edição: Maria Claudia








Nenhum comentário:

Postar um comentário