Parceiro Magalu

Parceiro Magalu
Aproveitem as Ofertas

CBN

domingo, 17 de outubro de 2021

Alunas do Centro Profissional Dom Bosco desenvolvem site e aplicativo para auxiliar as famílias que sofrem com o luto perinatal.

 Iniciativa inovadora recebeu prêmio em Feira apoiada pelo CNPq

Fonte / Foto: Conceptu Comunicação 

Assunto pouco divulgado, o luto perinatal é vivido por mães que perdem seus bebês durante a gestação ou após a primeira semana do parto. O tabu em torno do tema leva ao isolamento, entre outros comportamentos. Uma intercorrência que as pessoas evitam falar, então como intervir, quais recursos podem ser utilizados para auxiliar as famílias? Se não se fala sobre o tema, se torna cada vez mais difícil compreendê-lo e enfrentá-lo, visto que uma perda no processo gestacional contraria o ciclo da vida e constrange. No Brasil, segundo o IBGE, mais de 24 mil óbitos fetais ocorreram em 2019.

 


Centro Profissional Dom Bosco (CPDB) é uma obra social da Escola Salesiana São José
Foto : Divulgação - Conceptu Comunicação



 

Nesse contextoalunas do Curso Técnico de Informática do Centro Profissional Dom Bosco (CPDB), obra social da Escola Salesiana São José, de Campinas, acabam de desenvolver um site e um aplicativo para auxiliar as famílias que sofrem com o luto perinatal.

 

O projeto recebeu o prêmio especial “Alteridade” na 11ª. Bragantec, Feira de Ciência e Tecnologia realizada pelo Instituto Federal de São Paulo, Campus Bragança Paulista, com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). No mesmo evento o projeto teve a primeira colocação em Ciências Humanas e Linguagens e a segunda colocação no Geral. Mais de cem projetos foram apresentados na Bragantec e as alunas obtiveram a segunda maior nota na Feira. 

 

Intitulado “Luto Perinatal: A Escrita Como Recurso de Recuperação”, o projeto das alunas: Letícia Ferreira Silva, Lívia Paliari Padovine e Thamires de Melo Rodrigues, consideraram um estudo da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo que comprova que o ato de ouvir e relatar o ocorrido faz com que o processo do luto seja menos doloroso para as famílias.

 

Dessa forma, no site desenvolvido existem quatro áreas, sendo uma delas a de publicação e leitura de relatos. Segundo o orientador do projeto, Geraldo Moreno Florentino Junior, essa área tem o grande atrativo de usar a escrita como recurso recuperativo, pois organiza a vivência traumática e elabora a perda invisível socialmente. O recurso pode ser considerado, portanto, um aliado terapêutico na elaboração da perda.

 

Outra área do site é destinada às informações do processo de luto e uma terceira área trata informações de legislação dos direitos do natimorto: direito ao nome, direito ao registro, direito trabalhista das mães de natimortos, etc. O site também oferece uma quarta área sobre divulgação de outros perfis e campanhas para ajudar as famílias nesse momento tão difícil.

 

A co-orientadora do projeto, Adriana Maia da Silva Coelho, explica que as alunas do Curso Técnico de Informática do CPDB utilizaram para o desenvolvimento do site diversas linguagens, entre elas: HTML e CSS e, no aplicativo para celular foi utilizada a plataforma APP Inventor.  Segundo o orientador do projeto.


Serviço: 

site já está no ar pelo endereço: http://auxiliolutoperinatal.webteachers.com.br

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário